• Paulo Donke

O incrível universo da linguagem canina, aprenda comunicar-se com seu cão.


Você já deve ter percebido que os cães tem uma linguagem própria para se comunicarem, certo? Já sabia também que os latidos não são a principal formas de comunicação? Sabe muito bem que os cães tem suas expressões corporais próprias para demonstrar medo, ansiedade, alegria e raiva, não é mesmo? Mas você Já ouviu falar em Calm SIgnals? Já te contaram que os cães se expressam para dizer que não querem confusão?

Não? Então leia este post com muita atenção, ele vai ajudar você a entender e a se comunicar melhor com o seu melhor amigo.

Muita gente não sabe, mas os cães passam o tempo todo se comunicando e tentando transmitir alguns sinais. Quando o papo é entre cães socializados funcionam fluentemente, mas quando envolvemos humanos ou cães que se desenvolveram sem interação com outros cães, as tentativas podem ser bem frustrantes para todo mundo. Acredite, essa comunicação envolvem muitas expressões e geralmente não envolvem latidos. São sinais e sinais repassados em frações de segundos que somente eles tem absoluta compreensão, mas que podemos nos esforçar para entende-los sim.

A grande maioria das expressões mostram o estado emocional daquele cachorro. Não é novidade para ninguém que corpo encolhido e rabo entre a calda são sinais de medo, assim como rosnado e mostrar os dentes expressa agressividade, latidos e pulos podem significar ansiedade e rabo abanando geralmente representa um momento de descontração. Mas você sabia que há um grupo de expressões que representam a paz? Isso mesmo, eles emitem alguns sinais para dizer que não querem brigar, chamamos eles de Calm Signals, ou Sinais de Calma.



Os sinais de calma foram profundamente estudados por Turid Rugaas, uma treinadora de cães Norueguesa muito observadora da interação entre seus cães. Publicou em 2011 o livro Linguagem dos Cães: Os Sinais de Calma pela editora KNS. Baseada nas suas próprias experiências, a autora descreve os códigos da linguagem dos cães que nos permitem uma comunicação mais direta e eficaz com os nossos animais de companhia. Escrita de forma acessível, com múltiplos casos práticos, constitui uma obra essencial para os profissionais e amantes em geral do mundo do cão. Nesta obra Rugaas catalogou mais de 30 sinais caninos que significam “paz, estou me sentindo pressionado, não quero brigar”.

Afinal, brigar pra que, não é mesmo? Um cão socializado sabe muito bem que brigar não é uma boa opção, sabem que é necessário dispor de um grande nível de energia e ao mesmo tempo lidar com o risco de se ferir, ninguém gosta. Os sinais de calma foram importantes para diminuirmos as situações de conflitos entre os cães e entre cães e humanos e são utilizados diariamente na rotina da Allpha Pack e durante as avaliações para novos hóspedes.  Vamos abordar aqui alguns que consideramos os principais sinas:



Licking: Pode ser traduzido como lambida, ele talvez seja o sinal de calma mais comum. São lambidas que os cães dão no próprio focinho e costumam demonstrar um desconforto, uma resposta semelhante ao "Deixa disso cara, não vamos brigar por besteira né?" Geralmente é o primeiro sinal utilizado, e é muito comum aparecer em fotos e vídeos, pois os cães costumam se sentir pressionados quando colocamos uma câmera fotográfica bem na frente deles. Vamos ser sinceros, ninguém gosta de ser filmado ou fotografado sem autorização, ainda mais com a cam bem na frente da sua cara, não é verdade? Esse sinal também é muito comum quando alguém fala de forma agressiva com o cão ou quando ele recebe algum tipo de punição.




Desviar o olhar: Muitas vezes os cães evitam olhar para algo que cause desconforto. Ignorar pode ser um sinal claro de que há um incomodo mas não há intenção de brigar. Esse comportamento pode estar associado ao olhar ou à virar a cabeça. Não apenas um sinal de calma durante o desconforto, virar a cabeça pode significar uma boa receptividade. Se dois cães estão prestes à se encontrarem e caminham na direção um do outro, é provável que o cão bem socializado vire a cabeça e desvie o olhar, para logo em seguida voltar a focar no outro individuo, isso traz um sinal de boas-vindas para os cães que podem associar esse comportamento à um abanar de calda posteriormente, é como se fosse um convite: "continue vindo, podemos nos conhecer sem estresse?". Você pode tentar fazer o mesmo sempre que seu cão estiver insistindo em conseguir a sua atenção pra algo em momento inoportuno.



Virar ou dar as costas: Também é um sinal de apaziguamento, virar de costas é bastante comum em situações onde já exista uma interação e durante uma brincadeira por exemplo: quando um dos lados começa a passar do ponto (o famoso bullying) e o cão que quer interromper o comportamento, ele vira-se completamente de costas e passa então à ignorá-lo. Esse também é um sinal que podemos usar facilmente com nossos cães. Sabe aquela situação onde você chega em casa e seu cão não para de pular em você? É um bom momento para você se virar de costas para ele e passar a ignorá-lo até que o comportamento indesejável deixe de acontecer. 




Bocejo: Segundo Rugaas, o bocejo pode ser comum em várias situações. Por exemplo ao entrar em uma clinica veterinária, quando há brigas na família, quando recebe trancos na guia, quando uma criança se aproxima, pode ser usado quando seu cão se sente preocupado, inseguro, estressado ou simplesmente pra pedir que você se acalme. Este talvez seja o sinal de calma mais adaptável à comunicação humano x cão. Tente bocejar para o seu cão repetidas vezes quando ele está muito excitado com uma brincadeira. Também pode servir para dar confiança à um cão inseguro. Podemos traduzir como "Respire fundo e acalme-se. Tente e depois volte aqui pra comentar o resultado.

Além de todos esses sinais, seu cão também pode paralisar feito uma estatua ao esperar que o outro cão venha lhe saudar enquanto o fareja. Ele pode andar devagar e fazer lentos movimentos ao se deparar com outro cão à uma certa distância, isso ajuda o outro cão a ter tempo suficiente para ler os sinais e processá-los, facilitando o primeiro contato. Seu cão pode reclinar-se com as patas da frente como uma forma clara de convidar uma pessoa ou um outro cão para brincar. Ele pode sentar-se ou deitar-se para transmitir um pouco de calma, ele pode farejar o chão ou ir fazer outra atividade, como beber água, para tirar o foco de uma brincadeira agitada ou de uma apresentação à um novo cachorro. Ele pode simplesmente entrar no meio de uma brincadeira com outros dois cães ou duas pessoas ou ainda um outro cão e outra pessoa como forma de apaziguar os ânimos (é até comum ver na internet casais se abraçando e sendo interrompidos por seus cães). Além de muitos outros sinais.

Claro que os sinais por si só não representam muita coisa, é necessário avaliar o contexto todo para entender o real significado daquela expressão. Mas quanto mais observamos, mais claros eles ficam para nós. Lembre-se que você é o suporte de seu cão, você deve interferir em situações de mal estar, assim ele não terá necessidade de ser agressivo para resolver as situações sozinho. É importante perceber quando o seu cão está se sentindo muito pressionado e quer evitar qualquer situação, é importante observar os sinais para saber como o seu cão está se sentindo em relação à um outro cão, além é claro de observar como o outro cão se sente em relação ao seu. Se as expressões não forem positivas, evite o contato.

Outra forma de usufruir dessas informações é saber da importância em retirar a pressão sobre um cão que está se demonstrando incomodado, pois essa reação pode ser termômetro de que um comportamento negativo (geralmente ligado à agressividade) está prestes à acontecer.

Para finalizar vamos aqui deixar dois vídeos para que vocês mesmos observem e analisem os sinais emitidos pelos cães.

O primeiro é um vídeo publicado no canal da própria Turid Rugaas onde ele explica pessoalmente um pouco mais sobre os sinais da calma e apresenta algumas situações onde eles acontecem.



O segundo é um vídeo onde há uma interação entre um repórter e um cão policial que não acaba muito bem, mas perceba quantos sinais o cão tentou emitir para aliviar a pressão que estava sentindo, quase sempre a primeira opção é evitar ou fugir da situação, o ataque geralmente acontece quando não é possível, como você vai observar nesse vídeo (cuidado, as cenas podem ser fortes para pessoas mais sensíveis).




Agora queremos saber se a informação foi útil, se você conseguiu observar alguns dos sinais com os seus cães?


0 visualização

Vila Dogo 2014 - 2019© todos os direitos reservados. 

Somos associados

Somos certificados

  • Instagram ícone social
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Google+ Social Icon